sábado, 7 de outubro de 2017

APROVEITEMOS - estudos do dia 14-10-2017




APROVEITEMOS

14/10/2017
“E destas coisas vocês são testemunhas”



Adaptação da mensagem de Emmanuel recebida por Francisco Cândido Xavier (Livro: Caminho, Verdade e Vida – Item 161 Lucas 24:48)
Grupo Espírita Cristão "Irmãos do Caminho" -  Rua Francisco Carrilho, 363 – Jardim Florestal – CEP 13.215-670 – Jundiaí – SP
As mensagens podem ser acessadas no blog:  http://gecirmaosdocaminho.blogspot.com/     





Jesus sempre aproveitou o mínimo para produzir o máximo.
Com três anos de apostolado (trabalho) acendeu luzes para milênios de anos.
Reunindo pequeno grupo de doze companheiros, renovou o mundo.
Com uma pregação na montanha (Bem-aventuranças) inspirou milhões de almas para a vida eterna.
Converte a esmola de uma viúva em lição para sempre de solidariedade (em favor dos outros).
Corrigindo alguns espíritos perturbados, transforma o sistema judiciário (leis) da Terra, erguendo o “amai-vos uns aos outros” para a felicidade humana.
De cinco pães e dois peixes, retira o alimento para milhares de famintos.
Da ação de um Zaqueu bem-intencionado, traça programa edificante para os responsáveis da fortuna material.
Da atitude de um fariseu orgulhoso, tira a verdade que confunde os crentes mais sinceros.
Curando alguns doentes, coloca a medicina espiritual para todos as criaturas da Terra.
Faz dum grão de mostarda maravilhoso símbolo do Reino de Deus.
De uma moeda perdida, coloca ensinamento inesquecível sobre o amor espiritual.
De uma cruz grosseira, grava a maior lição de Divindade na História.
De tudo isso somos testemunhas em nossa condição de beneficiários. Em razão de nosso conhecimento, convém ouvirmos a própria consciência. Que fazemos das bagatelas (“ninharias”) de nosso caminho? Estaremos aproveitando nossas oportunidades para fazer algo de bom?




Mensagem recebida pela psicografia na reunião do dia 07/10/2017 – AO PARTIR DO PÃO

Filhinhos do meu coração.
Que a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo se faça em seus corações, hoje e por todo o sempre.
Filhinhos, minhas palavras tem apenas uma finalidade, a de trazer aos filhinhos algo a mais para meditar em torno da lição que estudamos hoje, que é a do partir do pão, que fez os discípulos compreenderem que era o Mestre que os ensinava.
A pergunta que podemos nos fazer é: Como pode eles, que conviveram com jesus, não o terem reconhecido de princípio? Como pode eles o terem reconhecido apenas quando ele se despedia?
E este questionamento nos traz até nós mesmos.
Reconhecemos os ensinos do Cristo quando nossas mentes estão repletas de preocupações com o dia a dia da vida material?
Reconhecemos os ensinos do Cristo quando nossos pensamentos estão carregados de mágoas ou de revolta perante o comportamento daqueles que se encontram ao nosso lado?
Reconhecemos os ensinos do Cristo quando nossa mente está ocupada com pensamentos de filosofias que nos afastam a presença do Deus Criador?
Reconhecemos a presença dos ensinos do Cristo quando nosso coração está repleto de sentimentos contrários à paz que Deus nos deseja?
Também nós, filhinhos, no dia a dia de nossas vidas, podemos ter tido a presença de Jesus ao nosso lado e não o termos percebido.
Então, nos cabe outra indagação a nos favorecer o raciocínio: E como podemos nos aperceber da presença do Cristo ao nosso lado? E ouviremos da voz dos próprios discípulos que passaram por esta experiência, a resposta: “E não nos abrasava o coração enquanto ele nos falava no caminho?”.
Filhinhos.
Consultem o próprio coração ao se aproximarem dos ensinamentos do Mestre e aí, no mais íntimo de vossas almas, encontrarão a resposta mais preciosa de vossas existências: Estou eu caminhando ao lado de Jesus?
Amadeus.



Mensagem recebida pela psicografia na reunião do dia 07/10/2017 – AO PARTIR DO PÃO

Mais amor na vida para a verdadeira redenção acontecer.
São luzes no interior do coração do Mestre nas passagens relatadas nesta tarde.
Não esquecer das virtudes do Irmão Maior para revelar o espirito completo.
Nesta vida o que encontramos além de provas e expiações é o Amor Divino para com todos que reerguem a verdadeira sintonia com o Pai, nos corrige e traz o discernimento e a evolução se completa na tarefa diária com o Pai e os irmãos. Por isso Jesus disse: “Amai a Deus sobre todas as coisas” porque sem Ele não há orientação e “Amai o próximo” porque com ele encontrará os nobres sentimentos para a vida eterna.
Jesus nos abençoe.
Irmão maior, Pai João.


Mensagem recebida pela psicografia na reunião do dia 07/10/2017 – AO PARTIR DO PÃO

Pétalas do Evangelho: Afastar-se de Jesus

Irmão de Humanidade e em Jesus-Cristo, nosso Guia Maior para todas as ocasiões da vida.
Esta expressão “nosso Guia Maior para todas as ocasiões da vida” não é algo simplesmente para soar bem ou completar um período gramatical.
Ela é indicativo que nos dá a opção certa para contarmos também com as forças espirituais do Bem, que trabalham em nome de Jesus e por Jesus.
O menosprezo, o afastamento de tal opção, distanciando-se de Jesus e de seus ensinos, trará como retorno fatal o brutal, o cruel, o desumano entre dores e lágrimas.
Esta é a razão pela qual, volta e meia a Humanidade é sacudida por atos enlouquecidos que bradam aos Céus e sacodem o nosso caminhar dentro da vida.














sábado, 30 de setembro de 2017

AO PARTIR DO PÃO - estudos do dia 07-10-2017




AO PARTIR DO PÃO

07/10/2017
“’E eles lhes contaram o que lhes acontecera no caminho, e como O haviam reconhecido ao partir do pão”



Adaptação da mensagem de Emmanuel recebida por Francisco Cândido Xavier (Livro: Pão Nosso – Item 129 Lucas 24:35)
Grupo Espírita Cristão "Irmãos do Caminho" -  Rua Francisco Carrilho, 363 – Jardim Florestal – CEP 13.215-670 – Jundiaí – SP
As mensagens podem ser acessadas no blog:  http://gecirmaosdocaminho.blogspot.com/     





Muito importante o episódio em que o Mestre é reconhecido pelos discípulos que se dirigiam para Emaús, em desesperação.
Jesus os seguira, como amigo oculto, fixando a verdade no coração deles com palavras carinhosas e doces.
Grande parte do caminho foi atravessada em companhia daquele homem, amoroso e sábio, que ambos consideraram por generoso e simpático desconhecido e, somente ao partir do pão, reconhecem o Mestre muito amado.
Os dois aprendizes não conseguiram a identificação nem pelas palavras, nem pelo gesto afetuoso, porém, tão logo surgiu o pão materializado, desapareceram todas as dúvidas e creram.
Não será o mesmo que vem ocorrendo no mundo há milênios?
Grandes multidões de candidatos à fé se afastam do serviço divino, por não atingirem, depois de certa espera, as vantagens que aguardavam no imediatismo da luta humana. Sem garantia financeira, sem caprichos satisfeitos, não comungam a crença renovadora, respeitável e fiel.
É necessário combater semelhante miopia (falta de visão) da alma.
Louvado seja o Senhor por todas as lições e testemunhos que nos dá, mas você continuará muito longe da verdade se O procura apenas na divisão dos bens fragmentários (pedaços) e perecíveis (que têm fim).




Mensagem recebida pela psicografia na reunião do dia 30/09/2017 – O AMIGO OCULTO

Filhinhos do meu coração.
Que a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo se faça em seus corações hoje e por todo o sempre.
Minhas palavras, queridos filhinhos, só tem a finalidade de ajudá-los a meditar um pouco mais sobre a lição que nos foi trazida para o aprendizado da tarde, que é o Amigo Oculto.
Vimos na lição que o Amigo Oculto se apresenta aos seguidores de Jesus em momento de desalento, para reerguer as suas esperanças e recolocá-los no caminho do bem.
E realmente ele nos aparece na vida nestes instantes, para que não caiamos ainda mais nos desânimos que às vezes aparecem em nossas existências.
Mas o amigo oculto também surge nos momentos em que nos decidimos a caminhar no bem, mas ainda não sabemos como fazer.
Ele nos surge como uma página de um livro que ocultava seus ensinamentos por estar fechado e quando aberto nos traz a orientação que necessitamos.
Ele nos surge na palavra de um amigo que há muito tempo não visitávamos e que, quando retomamos os elos de amizade nos apresenta os seus conhecimentos amorosamente.
Ele se apresenta na voz do velhinho ou da criança a quem normalmente não damos a nossa atenção, mas quando lhes proporcionamos a oportunidade, nos brindam com um abraço ou com palavras que nos reerguem.
E aos tarefeiros da Doutrina Bendita ainda tenho a revelar que quando alguém se propõe a uma tarefa na Casa de Orações em que dedica seu tempo, sempre haverá um amigo oculto ao seu lado para ampará-lo na tarefa a que se propõe.
Sempre haverá uma mão que se sobrepõe junto com a sua para entregar o mantimento.
Sempre haverá uma voz que falará junto com a sua para espalhar o ensinamento de Jesus.
Sempre haverá, amigos, alguém que estará ao seu lado, feliz por ter encontrado uma oportunidade de colaborar com Jesus através da ação que o amigo encarnado se propõe a realizar.
Um dia, quando a sombra do corpo físico se desfizer e as vistas dos amigos encarnados se abrirem para o mundo espiritual, estes amigos ocultos que durante tanto tempo trabalharam junto com você, não mais estarão ocultos. E o abraço da amizade se fará de coração a coração.   Amadeus.

Mensagem recebida pela psicografia na reunião do dia 30/09/2017 – O AMIGO OCULTO

− Zé! Não me venha com essa conversa de novo, Zé! Falar de espíritos e dizer que eles estão perto da gente?  Sai fora com essas conversas!
− Lica, Lica. Não é conversa. Tenho estudado o assunto. É sério!
− Nem pensar e nem falar. Enquanto você quiser tocar nesse assunto que me dá medo, não falo mais com você.
E o café da manhã seguiu em um silêncio entre o casal, que tinha o hábito de tomar o café juntos, antes de acordarem as crianças para os compromissos do dia.
O silêncio só foi rompido pelo toque do telefone. O Zé fingiu que não tinha ouvido, permanecendo a olhar a xícara de café, com o pensamento bem longe.
Coube à Lica, sem muita boa vontade, atender o telefone.
− Alô!
− (...)
− Sim. É da casa do Zé. No momento ele está sem muita vontade de atender o telefone. É só com ele que o senhor quer falar?
− (...)
− É só para dar um recado? Posso sim. Pode me dizer e assim que for possível eu falo pra ele.
− (...)
− Bom. Deixa ver se entendi.
O senhor agradece as orações que ele faz para o senhor todas as noites, mas quer que eu lhe diga que está tudo bem. Que o senhor está bem e ele não precisa se preocupar tanto. É Isso?
− (...)
− Mas. Como o senhor sabe que ele faz orações para o senhor todas as noites? Ele lhe contou?
− (...)
− Não tem importância saber desse detalhe? O importante é lhe dizer que o senhor está bem?
− (...)
− Tá bom. Pode deixar que, assim que puder eu dou o recado.
− (...)
− Obrigada. Fica o senhor também com Deus.
Lica desligou o telefone e permaneceu em silêncio. A pequena discussão ainda fazia com que ela não desejasse romper o silêncio com o marido.
Foi o Zé que, movido pela curiosidade, perguntou:
− Quem era, Lica?
− Não vou falar! Ou melhor, eu falo se você prometer não tocar mais nesse assunto de espíritos aqui em casa. Promete?
− Mas, Lica querida. Eu quero lhe contar as coisas que estou aprendendo...
− Promete? – Falou Lica interrompendo a fala do marido pela metade.
− Tá bom. Prometo. Aqui em casa não se fala mais em espíritos.
E o Zé ficou olhando a Lica, esperando a informação de quem tinha telefonado. E a Lica, para esconder o sorriso de vitória que não conseguiu evitar que surgisse, abaixou o rosto e ficou olhando a xícara de café para falar.
− Era o Alfredo, seu amigo de infância, pedindo que você não se preocupasse tanto com ele porque ele está bem.
Lica percebeu que alguma coisa estava errada ao não ouvir nenhuma resposta do Zé. Ergueu os olhos e viu o Zé branco como cera, olhando para ela.
− O que foi Zé? Por que você fixou assim?
− Lica, Lica. Você não lembra quem é o Alfredo?
− É aquele meu amigo que eu ia convidar para ser padrinho do nosso casamento e que morreu de acidente uma semana antes de irmos à casa dele. Lembra?
Foi a vez de Lica ficar branca como cera e engasgar com o gole de café que tinha levado à boca.
Jussara.


Mensagem recebida pela psicografia na reunião do dia 30/09/2017 – O AMIGO OCULTO

Pai de misericórdia, abençoe este nosso lar.
As palavras de Jesus são o conforto, a alegria e a libertação para a alma de todos aqueles que passam dias difíceis, mas que acreditam nas lições de amor do Mestre.
A cada dia, podemos nos refazer de nossas más experiências. Esta é a oportunidade santa e bendita que temos. Que cada gesto, cada palavra nossa seja carregada do fluído de fé e do amor, para que onde quer que nossas palavras e gestos alcancem, sejam recebidas com vibrações de amor.
"O amor cobre a multidão de pecados" disse o Mestre, e na verdade aquele que tiver compreensão, paciência disposição, braços para ajudar, será portador do amor e poderá desfrutar dos benefícios destes gestos em favor de outros, pois não há palavra de amor, nem gesto de auxílio que seja mau percebida por nossos irmãos. E hoje, o que mais necessitamos na Terra, é de paciência, tolerância, compreensão e amor uns para com os outros. Nunca a humanidade recebeu tanta informação sobre tudo, mas também nunca a humanidade buscou tanto pela paz interior. Esta busca incessante que ocorre a partir do coração de cada um, será para sempre o melhor caminho para o encontro da paz, o encontro consigo mesmo e o Mestre Jesus.
Teremos uma nova vivência e experiência que fará com que nosso testemunho possa ser encarado e compreendido por nosso coração, com disposição para o perdão e para a libertação das revoltas.
A compreensão, a atitude primeira em direção ao perdão, fará de nós espíritos melhores e sabedores de nossas obrigações e luta. Mas, alegre-se, pois para a luta que prosseguirá a cada dia em nossas vidas, teremos a companhia amorosa do Mestre Jesus a nos fortalecer e a nos dizer: - "Tende bom ânimo, Eu venci o mundo."






sábado, 23 de setembro de 2017

O AMIGO OCULTO - estudos do dia 30-09-2017




O AMIGO OCULTO

30/09/2017
“Mas os olhos deles estavam como que fechados, e não O reconheceram”



Adaptação da mensagem de Emmanuel recebida por Francisco Cândido Xavier (Livro: Caminho, Verdade e Vida – Item 95 Lucas 24:16)
Grupo Espírita Cristão "Irmãos do Caminho" -  Rua Francisco Carrilho, 363 – Jardim Florestal – CEP 13.215-670 – Jundiaí – SP
As mensagens podem ser acessadas no blog:  http://gecirmaosdocaminho.blogspot.com/     



Os discípulos, a caminho de Emaús, comentavam, amargurados, os acontecimentos terríveis do Calvário.
Permaneciam sob a tempestade da angústia. A dúvida penetrava a alma deles, levando-os ao abatimento, à negação.
Um homem desconhecido, porém, alcançou-os na estrada. Tinha o aspecto de mísero peregrino (viajante). Sem se identificar, esclareceu as verdades da Escritura, exaltou a cruz e o sofrimento.
Ambos os companheiros, que se haviam enroscados no cipoal de contradições ingratas, experimentaram agradável bem-estar, ouvindo a explicação confortadora.
Somente ao término da viagem, em se sentindo fortalecidos no quente ambiente da hospedaria, perceberam que o desconhecido era o Mestre.
Ainda existem aprendizes na “estrada simbólica de Emaús”, todos os dias. Atingem o Evangelho e espantam-se em razão dos sacrifícios necessários para a eterna iluminação espiritual. Não entendem o ambiente divino da cruz e procuram “paisagens mentais” distantes... Entretanto, chega sempre um desconhecido que caminha ao lado dos que vacilam e fogem. Tem a forma de um viajante incompreendido, de um companheiro inesperado, de um velhinho generoso, de uma criança tímida. Sua voz é diferente das outras, seus esclarecimentos são mais firmes, seus apelos mais doces.
Quem partilha, por um momento, do banquete da cruz, jamais poderá esquecê-la. Muitas vezes, partirá mundo a fora, demorando-se nos trilhos escuros; no entanto, minuto virá em que Jesus, de maneira imprevista, busca esses viajores transviados e não os desampara enquanto não os contempla, seguros e livres, na hospedaria da confiança.
  




Recadinho para os Pais - SEJA A MUDANÇA QUE VOCÊ QUER VER NO MUNDO

Quem de nós já não se pegou imaginando um mundo melhor, sem pobreza, dor, violência, drogas, guerras? As crianças, mais do ninguém, também imaginam. Perguntadas sobre o que gostariam que fosse diferente no mundo, mesmo nesse mundinho ainda pequeno que habita suas mentes infantis, creiam, tem muita coisa que elas não desejariam mais ver. Brigas, violência, guerras e até o temido “bulling” (violência psicológica que algumas sofrem na escola ou até na própria casa). Conversamos muito e conseguimos fazê-las perceber que o poder para mudar essa situação está dentro delas mesmas e de cada um de nós. Somos o que chamamos de “ajudantes de Jesus” na difícil tarefa de, através de nosso esforço, escolhermos melhor nossas atitudes diante de situações que não nos agradam. Quando devemos começar? Já! Vivemos como se houvesse um tempo extra para colocar em dia a ajuda negada, o amor não doado, a paciência não exercitada, a tolerância que nos foi requisitada...e esquecemos que os dias não nos são devolvidos. O tempo extra é hoje. O momento é o agora. Se não podemos fazer tudo, façamos o que pudermos, começando pelo nosso ambiente familiar. A partir daí muita luz se fará para aqueles que tiverem “olhos de ver”!
“Despojai-vos do homem velho; revesti-vos do homem novo.” – Paulo, Efésios4




Mensagem recebida pela psicografia na reunião do dia 23/09/2017 – A LUZ SEGUE SEMPRE

Pai de misericórdia, abençoe este nosso lar.
Estando os apóstolos reunidos, eis que surge Maria e faz soar as trombetas aos ouvidos dos discípulos de Jesus:
- "O Mestre, seu corpo não estava no túmulo como havia sido colocado e deixado."
Saíram alguns e foram até o local para ver com os próprios olhos. A fé no Mestre a partir deste momento, só fez crescer dentro de cada um que o seguia.
Eles se uniram e se fortaleceram, e lutaram cada um a seu modo para levar a mais linda história aos ouvidos da humanidade. Se dedicaram com sacrifício próprio e de suas famílias, mas as palavras do Cristo foram cumpridas!
E assim, fora anunciada aos quatro cantos da Terra. A partir daí, a mais linda história da humanidade, entra no coração e na memória de todos, e puderam compreender que o espírito é eterno, e somos todos meros aprendizes do Amor do Cristo.
No dia em que conseguirmos contagiar a todos os nossos com o amor incondicional que o Cristo nos ensinou e deixou, certamente teremos entendido que a vida é eterna, e que nós sempre poderemos ajudar e aprender, fazer a caridade e praticar o amor, encontrar o caminho e iluminar, tocar os corações e com exemplos, modificar tudo á nossa volta, amar e perdoar, e assim sermos recebidos pelo Cristo como filhos queridos que um dia se alongou do Pai, mas que agora está presente e atento aos seus ensinamentos.
Sejamos a luz, aquela pequena chama que pode iluminar um pequeno ambiente, apenas o suficiente para acabar com as trevas em nossa volta.

Alegre-se, o seu coração já sente a alegria do Mestre e a alegria do próximo, pois todos se alegram com a sua presença iluminada, como filho do Pai Maior e de amor.
Abençoado seja o caminho de todos os filhos.
Amém.
  

Mensagem recebida pela psicografia na reunião do dia 23/09/2017 – A LUZ SEGUE SEMPRE

Recadinho com Jesus: Que nem tatu ... (à Cornélio)

Uma das maiores tragédias do homem,
e talvez seja a maior, infelizmente
é ele ter receio da “Luz” que liberta
e nos abre novo mundo à nossa frente.

Acostumado a viver que nem tatu na toca,
escondido na “escuridão” e na negatividade
restringe sua visão aos limites
tacanhos, enganosos da inferioridade.

“Eu vim trazer vida abundante a vocês”,
alertou-nos o Cristo Salvador
mas o homem só tem caminhado para o espiritual
Se for cutucado pelo aguilhão (espeto) da dor.


Mensagem recebida pela psicografia na reunião do dia 16/09/2017 – NO PARAISO

Mesmo sabendo que a vida para mim tinha cessado eu ainda continuava vivo.
Não consegui o intento de deixar de existir. Me sentia logrado por alguém que eu não conhecia, mas que falava que  tinha sido feito muito mal por tentar tirar a minha existência por coisas tão banais e o pensamento fervilhava em minha cabeça: Como deixar de existir para não sofrer mais e como dar cabo de tudo vinha me atormentando.
Nisto percebi um bando de crianças alegres que tinham um objetivo.
Estavam a caminho de algum lugar que era de muita alegria para elas.
Não sei porque resolvi acompanha-las e segui em frente.
Cheguei aqui e me alegrei um pouco, pois que me contaminei com a alegria delas. No portão fui convencido.
O meu lugar agora era outro e que as crianças tinham o seu lugar à parte.
Fui convidado a entrar e percebi que também ali a alegria era grande, apesar de muitas preocupações na cabeça das pessoas.
Aos poucos assentei o meu coração e pude ouvir uma prece sentida que vinha em meu favor e penetrava em minha cabeça e, como uma chuvinha, aliviava aquela minha dor da alma.
Fiquei imobilizado sentindo como se o Céu penetrasse em todo o meu ser.
Aos poucos fui conseguindo lembrar da minha infância tão alegre e tão cheia de paz que meus pais me ofereciam e uma saudade muito grande apoderou-se da minha alma e não sei porque virei minha cabeça para o lado e, para minha surpresa, minha mãe se encontrava ao meu lado e sua voz melodiosa pude ouvir.
“Venha, meu filho, meu colo está vago e só tu podes enchê-lo”.
Então aconcheguei como criança em seu colo e fomos levados para um lugar do Paraíso.
Aos poucos, depois de muito tempo, pude entender o quanto podemos ser ajudados se observarmos a conduta de cada um, pois a alegria daquelas crianças me trouxe para conhecer o Paraíso.

Jesus nos abençoe.


sábado, 16 de setembro de 2017

A LUZ SEGUE SEMPRE - estudos do dia 23-09-2017




A LUZ SEGUE SEMPRE

23/09/2017
“E as suas palavras pareciam a eles alucinação, e não creram nelas”



Adaptação da mensagem de Emmanuel recebida por Francisco Cândido Xavier (Livro: Vinha de Luz – Item 9 Lucas 24:11)
Grupo Espírita Cristão "Irmãos do Caminho" -  Rua Francisco Carrilho, 363 – Jardim Florestal – CEP 13.215-670 – Jundiaí – SP
As mensagens podem ser acessadas no blog:  http://gecirmaosdocaminho.blogspot.com/     



O espanto e a indecisão surgidos no dia da Ressurreição do Senhor ainda é igual nos tempos que passam, sempre que a natureza divina e invisível ao olhar comum dos homens dá a conhecer suas gloriosas mensagens.
As mulheres dedicadas, que se foram em romaria de amor ao túmulo do Mestre, sempre encontraram seguidores. Porém, são muito raros os Pedros que se dispõem a levantar para a verificação da verdade.
Em todos os tempos, os que transmitem de notícias de além-túmulo passam na Terra, quanto hoje.
As escolas religiosas deturpadas, porém, somente em raras ocasiões aceitaram o valioso auxílio que se oferecia a elas.
Nas épocas passadas, todos os instrumentos da revelação espiritual, com raras exceções, foram considerados como bruxos, queimados na praça pública, e, ainda hoje, são tidos por dementes, visionários e feiticeiros. É que a maioria dos companheiros de jornada humana vive agarrada aos inferiores interesses de alguns momentos e as palavras da verdade imortalista sempre pareceram a eles completa alucinação. Entregues ao que é passageiro, não creem na expansão da vida, dentro do infinito e da eternidade, mas a luz da Ressurreição prossegue sempre, inspirando seus missionários ainda incompreendidos.






Mensagem recebida pela psicografia na reunião do dia 16/09/2017 – NO PARAISO

Um elo de amizade uniu os corações de Sir Geofrei e de Jonathan a partir daquela noite.
Sir Geofrei viu no jovem o filho que gostaria de ter tido, que comungasse com suas ideias e sentimentos.
O jovem via em Sir Geofrei um pai, pela saudade que tinha de seu pai que tinha partido para a eternidade.
Ambos tentaram melhorar as condições daquele vale o quanto puderam. Algumas vezes tinham relativo sucesso, e outras nada conseguiram.
O que de melhor fizeram foi quando tiveram a ideia de guardar as sementes que vinham nas frutas que os populares deixavam às portas do vale para eles se alimentarem. Conseguiram reunir uma quantidade suficiente para iniciar o plantio de um pomar.
Muitas dificuldades enfrentaram, principalmente quando as pequeninas árvores começaram a crescer. Mas conseguiram.
E um tempo depois o pomar era um local onde várias pessoas vinham descansar à sombra das árvores e se alimentar com os frutos que elas ofereciam.
E era ali que Sir Geofrei costumava falar às pessoas que queriam ouvir, sobre os ensinos de Jesus que um dia ele tinha conhecido das leituras que fizera. E Jonathan sempre estava ao seu lado nestes momentos.
Apenas uma vez viu-se uma discordância entre os dois.
Foi quando Sir Geofrei desejou levar o que lera de Jesus até os leprosos. Jonathan lembrou-lhe do perigo do contágio da doença, mas Sir Geofrei, movido por um desejo interior que o consumia, se aproximou dos leprosos e descobriu ali ouvidos mais atentos, mais desejosos de receber a consolação que ele lhes levava.
Foi nesta tarefa que Sir Geofrei descobriu duas coisas interessantes.
A primeira foi quando percebeu que, falando aos mais infortunados, às vezes lhes falava de coisas que não conhecia, que não tinha lido. Nestas ocasiões se perguntava de onde tinham vindo aquelas palavras, aquele conhecimento que não possuía.
A outra ocorreu uma vez que estava a falar aos leprosos bem ao pé da montanha, onde lhes ficavam as casinhas. E pode ver, lá acima, a figura de Meredith. Parecia-lhe que ela tentava ver, mesmo à distância, onde ele se encontrava. Mas foi uma imagem fugidia, de alguns poucos minutos e Sir Geofrei nunca teve a certeza de ter sido uma visão real ou apenas sua imaginação a lhe pregar uma peça.
Como Jonathan previa, o contágio da doença alcançou Sir Geofrei. E alcançou com uma intensidade muito forte, pois em breves dias ele não mais conseguia caminhar, passando a habitar junto com os leprosos, separando-se em definitivo do convívio com aquele que gostava como a um filho.
E, num dia em que os se dirigiam, juntos, a buscar água, Sir Geofrei ficou acamado na casinha mais afastada ao pé da montanha.
Foi quando um moço adentrou à casinha e Sir Geofrei, espantado, lhe falou:
Meu amigo, você sabe onde está?
− Sei sim. Aqui vim à sua procura.
− Mas, aqui mora a lepra. Se você ficar por aqui, o contágio vai lhe trazer a doença para o corpo.
− Eu não me preocupo com isto. Já de algum tempo não tenho mais a preocupação da doença tomar conta de meu corpo. Eu vim aqui pela sua busca constante dos ensinos do Amor Divino.
− Sim. Busquei os ensinos de Jesus através dos escritos dos seus seguidores, mas confesso minha dificuldade de compreensão, pois muitos destes ensinos são para mim incompreensíveis.
− E eu sei o porquê, meu amigo. Pois estes ensinos requerem tempo e trabalho para fazerem morada eterna em nossos espíritos. O tempo necessário para trabalharmos o nosso próprio coração para que a Verdade seja uma realidade em nossas vidas.
− Mas, quem é você, que me fala desta forma? Como chegou até aqui?
− Eu vim, enviado por minha mãe, que lhe prometeu orar para que você pudesse me encontrar e eu pudesse lhe ensinar tudo o que você quer aprender.
Deseja caminhar para os novos aprendizados? E para as novas tarefas que virão ao seu encontro?
Porque a caminhada eterna se faz com o trabalho eterno.
Vamos?
E Sir Geofrei deixou o corpo físico, adoentado, e caminhou junto com aquele moço para os novos aprendizados e para as novas tarefas que iria encontrar em seu paraíso.
Jussara.


Mensagem recebida pela psicografia na reunião do dia 16/09/2017 – NO PARAISO

Recadinho com Jesus: Sem amor a vida é nada.

Como iremos dentro de nós
o paraíso ali construir?
Pondo em prática os ensinos do Cristo
- roteiro para cada um ser feliz.

O mundo nos chama acenando ilusões,
todas sedutoras e brilhantes.
Mas são elas como bolhas de sabão
que se acabam num instante.

A cada um será dado
conforme as obras que executou.
Mas nada terá construído
quem na vida não viveu o amor.

Mensagem recebida pela psicografia na reunião do dia 16/09/2017 – NO PARAISO

Recadinho com Jesus: Paraiso ou Inferno?

Bebidas, drogas, sexo desmedido
nos colocam ao nível da vida animal.
São verdadeiras amarras à nossa alma,
Impedindo-nos a ascensão espiritual.

“O Reino de Deus está dentro de vocês”,
esclareceu-nos o Cristo Salvador.
E ele somente irá se desenvolver
se vivenciarmos na vida o amor.

Ele é como sementinha bendita
que vem conosco ao nascer.
Mas, se nos fecharmos em indolência, rebeldia,
o “inferno” dentro de nós irá se fazer.

  
Mensagem recebida pela psicografia na reunião do dia 16/09/2017 – NO PARAISO

Mesmo sabendo que a vida para mim tinha cessado eu ainda continuava vivo.
Não consegui o intento de deixar de existir. Me sentia logrado por alguém que eu não conhecia, mas que falava que  tinha sido feito muito mal por tentar tirar a minha existência por coisas tão banais e o pensamento fervilhava em minha cabeça: Como deixar de existir para não sofrer mais e como dar cabo de tudo vinha me atormentando.
Nisto percebi um bando de crianças alegres que tinham um objetivo.
Estavam a caminho de algum lugar que era de muita alegria para elas.
Não sei porque resolvi acompanha-las e segui em frente.
Cheguei aqui e me alegrei um pouco, pois que me contaminei com a alegria delas. No portão fui convencido.
O meu lugar agora era outro e que as crianças tinham o seu lugar à parte.
Fui convidado a entrar e percebi que também ali a alegria era grande, apesar de muitas preocupações na cabeça das pessoas.
Aos poucos assentei o meu coração e pude ouvir uma prece sentida que vinha em meu favor e penetrava em minha cabeça e, como uma chuvinha, aliviava aquela minha dor da alma.
Fiquei imobilizado sentindo como se o Céu penetrasse em todo o meu ser.
Aos poucos fui conseguindo lembrar da minha infância tão alegre e tão cheia de paz que meus pais me ofereciam e uma saudade muito grande apoderou-se da minha alma e não sei porque virei minha cabeça para o lado e, para minha surpresa, minha mãe se encontrava ao meu lado e sua voz melodiosa pude ouvir.
“Venha, meu filho, meu colo está vago e só tu podes enchê-lo”.
Então aconcheguei como criança em seu colo e fomos levados para um lugar do Paraíso.
Aos poucos, depois de muito tempo, pude entender o quanto podemos ser ajudados se observarmos a conduta de cada um, pois a alegria daquelas crianças me trouxe para conhecer o Paraíso.
Jesus nos abençoe.